terça-feira, 28 de maio de 2024
- Anúncio -spot_img
InícioOrixás e Guias EspirituaisConheça Erês da Umbanda - Seres Encantadores que Habitam esse Universo Espiritual

Conheça Erês da Umbanda – Seres Encantadores que Habitam esse Universo Espiritual

Quem são os erês da Umbanda?

No mundo da Umbanda, os erês são entidades espirituais consideradas infantis e travessas. São conhecidos por seu comportamento brincalhão e alegre, trazendo uma atmosfera de inocência e diversão para os trabalhos espirituais. Muitas vezes, são representados por crianças desencarnadas que encontram na Umbanda um espaço para expressar sua energia e curiosidade.

O conceito de erês da Umbanda está associado à ideia de que as crianças possuem uma conexão especial com o divino. Acredita-se que, por sua pureza e simplicidade, elas têm uma capacidade natural de atrair e conduzir energias positivas. Dessa forma, os erês são vistos como intermediários entre os seres humanos e os orixás, auxiliando nas comunicações espirituais e trazendo mensagens de amor e alegria.

Na prática umbandista, os erês são celebrados e reverenciados. Durante os rituais, eles podem ser invocados por meio de cânticos, danças e oferendas. Muitas vezes, são representados por imagens de crianças ou desenhos coloridos, simbolizando sua natureza lúdica e alegre. Os devotos oferecem doces, brinquedos e flores em honra aos erês, buscando estabelecer uma conexão afetuosa com essas entidades espirituais.

A representação dos erês como espíritos de crianças desencarnadas

Uma das principais interpretações dos erês na Umbanda é a de que eles são espíritos de crianças desencarnadas, ou seja, crianças que já partiram desta vida física. Esses espíritos infantis são vistos como uma forma de renovação espiritual e trazem consigo uma energia pura e inocente que pode ser compartilhada com os praticantes da Umbanda.

A representação dos erês como crianças desencarnadas também está relacionada ao conceito de reencarnação presente na doutrina umbandista. Acredita-se que esses espíritos possam retornar em outras vidas, trazendo consigo aprendizados e evolução espiritual. Dessa forma, os erês são considerados como seres em constante crescimento e desenvolvimento.

Conforme a Umbanda se desenvolveu e se adaptou às diferentes regiões do Brasil, as representações e características dos erês podem variar. Em algumas regiões, eles são retratados como crianças negras, em outras como crianças brancas. Essa diversidade indica a importância de respeitar a identidade cultural e étnica de cada comunidade e reforça a visão inclusiva da Umbanda.

A importância dos erês para a cultura e prática umbandista

Os erês desempenham um papel fundamental na cultura e prática umbandista. Além de trazerem alegria e descontração para os rituais, eles também são considerados protetores e guardiões espirituais das crianças. Acredita-se que os erês possam auxiliar em questões relacionadas ao desenvolvimento infantil, saúde e proteção.

Na Umbanda, as entidades erês são frequentemente invocadas para ajudar no tratamento de questões emocionais, como tristeza, solidão e medo. Acreditam-se que sua energia lúdica e divertida possa trazer leveza e alegria à vida das pessoas. Além disso, os erês também são vistos como protetores dos lares, afastando energias negativas e promovendo harmonia nas relações familiares.

A presença dos erês da Umbanda ressalta a importância da alegria, do amor e da pureza na espiritualidade. Eles nos lembram que mesmo diante das adversidades é possível encontrar momentos de felicidade e diversão. Ao honrar e respeitar os erês, os praticantes da Umbanda buscam fortalecer essa conexão com a energia infantil e estimular a pureza de espírito em suas vidas.

Características dos erês da Umbanda

Os erês possuem características únicas e encantadoras. Quando se trata da aparência dos erês, geralmente são retratados como crianças, com rostos delicados, sorrisos brilhantes e olhos cheios de curiosidade. Muitas vezes, são representados vestindo roupas coloridas, como vestidos, camisas e shorts, com detalhes que remetem à infância, como laços, botões brilhantes e estampas divertidas.

Além da aparência, a personalidade dos erês também é marcante. Eles são conhecidos por serem travessos, brincalhões e cheios de energia. Possuem uma inocência cativante e trazem consigo uma alegria contagiante onde quer que estejam. Os erês são famosos por sua atitude brincalhona e pela capacidade de trazer felicidade e diversão para as giras e festividades umbandistas.

Ligações com a natureza, inocência e alegria

Os erês possuem uma forte conexão com a natureza, representando a pureza e a simplicidade da infância. Eles estão frequentemente associados a elementos naturais, como flores, animais e pássaros, simbolizando a inocência e a harmonia com o ambiente ao seu redor.

A presença dos erês em um terreiro de umbanda traz um ar de alegria e leveza para o ambiente. Eles são como os pequenos raios de sol que brilham no meio das sombras, trazendo sorrisos e risadas para todos que os encontram. Sua energia vibrante e positiva é capaz de animar qualquer situação e ajudar a dissipar qualquer tristeza.

Como os erês são retratados nas giras e festividades umbandistas

Durante as giras e festividades umbandistas, os erês são retratados de diferentes formas, dependendo da tradição e linha de umbanda seguidas pelo terreiro. Alguns podem ser representados por crianças reais, vestidas de forma semelhante aos erês, enquanto outros podem ser representados por médiuns incorporados que assumem a personalidade infantil dos erês.

Os erês desempenham um papel especial nas giras, especialmente nas sessões de descarrego ou de cura. Sua energia jovial e pura desempenha um papel importante na limpeza espiritual dos participantes. Eles trazem consigo uma energia de alegria e renovação, auxiliando na elevação das vibrações do ambiente e na transmutação de energias negativas em positivas.

Além disso, os erês também são honrados em festividades específicas, como a Festa de Cosme e Damião, que ocorre no dia 27 de setembro. Nessa ocasião, muitas casas de umbanda realizam uma festa especial para receber os erês e celebrar sua presença na religião. É comum oferecer doces, brinquedos e outras oferendas para eles, como forma de agradecer pela proteção e pela alegria que trazem àqueles que acreditam e praticam a umbanda.,

Papel dos erês da Umbanda

Os erês da Umbanda desempenham um papel muito especial. Sua função principal é trazer alegria, leveza e equilíbrio para os terreiros e consultas espirituais. Eles costumam ser representados no altar da Umbanda por imagens de crianças, como meninos e meninas brincando.

Nas consultas espirituais, os erês são invocados e incorporados pelos médiuns para auxiliar nas demandas espirituais e emocionais dos consulentes. Eles trazem uma energia de amor, inocência e cura, sendo capazes de acalmar e trazer consolo para aqueles que estão passando por dificuldades. Os erês também são vistos como protetores das crianças, atuando como guardiões espirituais e trazendo energias positivas para a infância.

Os erês são conhecidos por sua habilidade em lidar com assuntos relacionados ao coração, como problemas de relacionamento, traumas emocionais e angústias. Eles trazem uma energia de pureza que pode ajudar a trazer clareza e soluções para problemas que parecem insolúveis. Além disso, os erês também são responsáveis por trazer alegria, descontração e riso para os ambientes em que estão presentes, ajudando a dissipar energias negativas e trazer positividade.

Quando se trata da relação dos erês com outras entidades da Umbanda, eles são conhecidos por serem bastante respeitados e queridos por todos. Os erês são vistos como irmãos mais novos pelas outras entidades e são frequentemente chamados de “crianças da Umbanda”. Eles possuem uma relação próxima e afetuosa com os guias espirituais, caboclos, pretos velhos e todas as demais entidades da Umbanda, trazendo harmonia e união para o terreiro. Os erês também são conhecidos por serem ótimos dançarinos e adoram participar das festividades e celebrações da Umbanda, trazendo alegria e animação para todos.,

Culto aos Erês

O culto aos erês envolve rituais e práticas específicas dedicadas a esses espíritos. Durante as sessões de Umbanda, é comum haver um espaço reservado para os erês, chamado de “Cantinho dos Erês”. Nesse local, são colocadas imagens ou representações simbólicas dos erês, como brinquedos, balões e doces. Os terreiros costumam decorar esse espaço de forma colorida e lúdica, para atrair a atenção e a energia dos erês.

Os rituais dedicados aos erês geralmente são alegres e descontraídos. Uma das práticas comuns é a “Roda de Erês”, na qual os médiuns dançam e brincam imitando movimentos infantis. Essa atividade tem o objetivo de atrair a presença dos erês e fortalecer a conexão com eles. Além disso, são entoados cânticos específicos para os erês, que expressam sua leveza e pureza.

No culto aos erês, também são realizadas ofertas e presentes como forma de homenagem a esses espíritos infantis. É comum oferecer-se doces, balas, brinquedos e objetos que simbolizam a infância. Essas oferendas podem ser colocadas no Cantinho dos Erês ou até mesmo entregues pelos frequentadores do terreiro durante as sessões. Acredita-se que os erês se alimentam da energia desses presentes e os utilizam para fortalecer seus laços com a terreiro e com os devotos.

Para se conectar e cultivar a relação com os erês, os devotos podem realizar algumas práticas simples. Uma delas é a mentalização, na qual é possível visualizar a energia e a presença dos erês em momentos de alegria e diversão. Além disso, podem-se criar um altar em casa dedicado aos erês, com fotos, brinquedos e pequenas oferendas. Essa prática permite que os devotos mantenham uma conexão frequente com essas entidades e busquem sua proteção e orientação.

Em resumo, o culto aos erês da Umbanda envolve rituais e práticas específicas que celebram a energia alegre e pura desses espíritos infantis. Através de ofertas e presentes, os devotos homenageiam os erês e fortalecem seu vínculo com eles. Manter uma conexão com os erês pode ser feito através da mentalização e da criação de um altar dedicado a essas entidades. Com isso, os devotos podem usufruir da energia positiva e da vitalidade trazidas pelos erês na Umbanda.,

Mitos e curiosidades sobre os erês

Um mito muito comum é o de que os Erês são espíritos que não tiveram a oportunidade de crescer e se desenvolver durante sua encarnação, e por isso atuam na espiritualidade como crianças. Esses espíritos são representados de forma alegre e brincalhona, trazendo a energia da infância para os trabalhos espirituais e trazendo consolo e alegria para aqueles que os procuram.

Além dos mitos, há também curiosidades pouco conhecidas sobre essas entidades. Entre elas, podemos destacar que os erês possuem nomes específicos que variam de acordo com cada linha de trabalho dentro da Umbanda, como Linha das Crianças Pequenas, Linha das Crianças de Caboclo, entre outras. Cada linha possui características específicas, como cores, elementos e símbolos que representam os erês. Essas informações são transmitidas pelos guias espirituais aos médiuns da Umbanda, que devem estudá-las e respeitar as tradições para o correto trabalho com essas entidades.

Outra curiosidade interessante é que os erês também possuem preferências e gostos particulares. Eles são atraídos por objetos e brinquedos que estão relacionados à infância, como bonecas, carrinhos, bolas e balões. É comum que os fiéis deixem esses objetos como oferendas nos terreiros, como forma de agradar e atrair a presença dos erês durante os trabalhos espirituais. Esses gestos simbolizam a valorização da alegria e inocência presentes na criança divina encontrada em cada ser humano.

AMZ Livro Misterios da Umbanda e1706965646213

OS MISTÉRIOS DA UMBANDA: Crianças, Ciganos, Linha do Oriente, Malandros, Elementais ou Espíritos da Natureza

Somos afiliados da Amazon. Se você adquirir este produto pelo botão abaixo, nos ajudará na manutenção deste blog.

Perguntas mais Frequentes

Como os Orixás se comunicam através de sonhos na Umbanda?

Os Orixás escolhem frequentemente os sonhos como um meio de comunicação, aproveitando o espaço entre o mundo espiritual e o subconsciente para transmitir mensagens vívidas e simbólicas.

Quais características diferenciam os sonhos comunicativos dos Orixás de sonhos normais?

Os sonhos comunicativos dos Orixás tendem a ser mais vívidos, intensos e memoráveis, muitas vezes apresentando simbolismos específicos relacionados ao Orixá que está se comunicando.

Como a veneração das entidades é vista na Umbanda?

A veneração das entidades não é idolatria, mas sim um respeito e admiração pelo que representam, como sabedoria, justiça e amor.

Avalie este post
Livia Serra de Luz
Livia Serra de Luz
Lívia Serra de Luz é uma dedicada estudiosa e praticante da Umbanda, compartilhando essa paixão com seu marido, João Carvalho de Luz, há mais de 15 anos. Nascida na vibrante Salvador, Bahia, Lívia foi envolvida desde cedo pelos ricos elementos culturais e espirituais que permeiam a cidade, berço da Umbanda. Seu interesse pelas raízes espirituais do Brasil se entrelaça com o amor pela natureza e pelas tradições orais que ecoam a sabedoria ancestral.
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos mais lidos

Comentários

Avalie este post